Sexta-feira, 7 de Maio de 2004

TORTURA

tort.jpg

PARTE I:

São horríveis e não digeríveis as imagens das torturas aplicadas por uma cambada de torcionários ao serviço da coligação militar que ocupa o Iraque.

Repugnância absoluta. Condenação total. Exigindo a condenação dos autores materiais e morais desses crimes sádicos. E a demissão dos responsáveis militares e políticos que têm ao serviço Exércitos que tornam possíveis essas práticas. A começar pelos mais altos níveis de responsabilidade.

PARTE II:

Extras e por arrastamento:

1) A obtenção e a divulgação das imagens deve-se à comunicação social americana. A eles devemos o conhecimento e a divulgação das imagens.

2) A opinião pública americana está indignada e o caso transformou-se em factor de crise política (pelo menos, descrédito político, que é a antecâmara da crise).

3) Em democracia, há torcionários. Em democracia, conhecem-se e condenam-se os atropelos à dignidade humana. Em democracia, os crimes pagam-se em custos políticos (pelo menos).

PARTE III:

Perguntas maliciosas:

a) Pode-se fotografar e divulgar o que acontece na polícia e nos cárceres cubanos?

b) Pode-se fazer pagar politicamente a Fidel Castro, aos seus acólitos e aos seus seguidores, mais a todos que o protegem sob o manto do silêncio, as suas tropelias contra a liberdade de expressão e os direitos do homem?
publicado por João Tunes às 16:56
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Joo a 9 de Maio de 2004 às 21:36
Abraço. Faça a gestão mais conveniente do seu tempo e dos seus afazeres. Temos tempo...


De Werewolf a 9 de Maio de 2004 às 13:51
Caro Joao, estou completamente de acordo consigo. Acho inclusivamente que nao existe, neste assunto, qualquer divergencia, o que existe, como muito bem diz, maior ou menor optimismo, ou maior ou menor pessimismo.

Continuo a achar que a alternativa a democracia so pode ser maior democracia.

Na medida do possivel vou seguir o seu conselho, embora ande um bocado apertado de tempo, pois com a doença dos blogs tenho estado a acumular algumas coisas que tenho de fazer com alguma urgencia. Abraço.


De Joo a 9 de Maio de 2004 às 01:23
Caro Werewolf, no essencial estou de acordo com as suas observações. A divergência parece ser mais da ordem da confiança ou da esperança (eu serei mais optimista, o meu amigo será mais pessimista). Mas, eu nunca disse que existem (e muito menos nos EUA) democracias perfeitas. Nenhuma democracia que se conheça é total e completa. A democracia, por não ser um sistema fechado e total, é e será sempre uma obra incompleta. E dispenso-lhe de me ouvir citar a célebre frase de Churchil. Compete-nos protestar contra os entorses e exigir o aprofundamento da democracia, através de mais democracia. Mas, convicção minha, a democracia não tem alternativa que a substitua. Corrijo, ter tem, mas "não democracia" é sempre pior que "má democracia". Não cito Churchil mas cito o poeta Alexandre O'Neill que dizia (há bastantes anos atrás) que preferia ser homeless em Nova Iorque que cidadão com casa e emprego em Moscovo (no tempo da URSS). É uma metáfora mas eu subscrevo-a porque não há pior mal para o homem e para os homens que a falta de liberdade. Obrigado pelos seus contributos. Concordo que meter a nossa discussão na moldura dos comentários é um bocado apertado. Proponho: Burile e reproduza os seus argumentos num post no seu blogue. E eu farei o mesmo aqui com o peixe que estive a vender. É que divergir não tem problema nenhum, pelo contrário, é mais que saudável, é necessário. Abraço.


De Werewolf a 8 de Maio de 2004 às 16:26
Não interprete os comentários que lhe deixei como uma divergência, antes pelo contrário.

Digamos que para mim tortura é tortura, independentemente do regime que a pratica, embora evidentemente um regime permita uma certa abertura enquanto o outro não permite abertura nenhuma e esta é de facto uma diferença significativa. Nós que vivemos, pelo menos alguns anos em ditadura, sabemos bem dar valor à liberdade.

Antes de terminar deixo aqui mais uma pequena interrogação. Quem tirou as fotografias? Com que fim? Parece-me que, na maior parte dos casos o aparecimento destas fotografias é alvo do acaso. Passo a explicar. Os torturadores estão todos com um ar feliz, conscientes de que nada lhes irá acontecer e convencidos que estão a prestar um serviço relevante à sua pátria, ao obrigar os prisioneiros a confessar seja o que for. Porque é que o sr. Rumsfeld, que afirmou já conhecer estas imagens desde Janeiro e revelou que existem outras bem mais chocantes, não denunciou de imediato a situação? Era esse o seu dever de democrata. Ou não?

Vivemos de facto num mundo cão em que é difícil fugir à manipulação.

Pronto João, hoje vou ficar por aqui, talvez voltemos ao assunto mais tarde. Abraço.


De Werewolf a 8 de Maio de 2004 às 16:14
CONTINUANDO:

O assunto é interessante e a discussão deveria (poderia?) ser mais aprofundada e alargada, mas no âmbito destes comentários não temos espaço para ir muito mais além. Talvez consigamos lançar um debate na blogosfera com estas nossas (e de outros) iniciativas. A ver vamos.

Há no entanto uma convicção em que estamos totalmente de acordo, que é em combater toda esta hipocrisia. Seja cubana ou estado-unidense.

Para finalizar não posso deixar de citar uma frase que, segundo creio, foi proferida por Boaventura Sousa Santos, mais ou menos assim: "vivemos politicamente numa democracia e economicamente numa ditadura".


De Werewolf a 8 de Maio de 2004 às 16:06
Meu caro João, nada a dizer em relação às partes I e III do seu artigo, totalmente de acordo. No entanto em relação à parte II, não partilho totalmente do seu optimismo em relação às virtudes desta democracia. Paço a explicar para que não haja mal-entendidos. É certo que ninguém vai preso ou é torturado por revelar tais fotografias, mas também é certo que, pelo menos neste caso em concreto, ninguém vai ser julgado, e muito menos condenado, pelos crimes que cometeu. Já está alinhavada a sanção disciplinar. O problema da democracia made in USA é que é uma democracia de marketing, hoje é assim, amanhã será de outra maneira, conforme as conveniências e o negócio.

Já temos debatido o problema, mas nunca o aprofundamos. A questão é saber se estes exemplos de tortura são iguais, respondi-lhe que eram iguais e diferentes. Iguais porque ambos são traições a ideais que dizem defender, iguais porque enquanto enquantos os respectivos líderes (ou será que devo dizer regimes) permanecerem no poder não deixarão de continuar a acontecer. Diferentes porque num os ideais de liberdade já não existem, no outro tenta-se acreditar que existem. Num será mais fácil mudar o regime do que o governante, noutro será mais fácil mudar o governante do que o regime.


De Cndida a 8 de Maio de 2004 às 15:22
como é de prever toda a gente de todos os quadrantes políticos condenam estas imagens. Que nojo de hipocrisia e demagogia! eu gostava de fazer engolir estas fotografias a uns quantos hipócritas e bajuladores.


De Joo a 7 de Maio de 2004 às 23:31
De acordo.


De Antonio Dias a 7 de Maio de 2004 às 18:19
Venha o primeiro que atire a pedra... isto é uma vergonha.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. ESPANHA – GUERRA CIVIL

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (1...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (2...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (3...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (4...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (5...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (6...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (7...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (8...

.arquivos

. Setembro 2007

. Novembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds