Quinta-feira, 27 de Maio de 2004

BARBA OU PÃO?

af.jpg

Hora de compras. Carrego para a semana. E o diálogo do costume. Não esquecer as bolachas. Daquelas integrais por causa do colesterol. É preciso azeite. Mas de baixa acidez. Faz-se um peixe assado para amanhã? Boa ideia. É verdade, já há pouco leite em casa. Ah, e o shampoo. Daqueles para cabelos secos, frágeis e espigados. As uvas não têm bom aspecto. É melhor comprar noutro sítio.

Agora é tempo de fila com carrinho atulhado. Um velho africano, carapinha já branca e rala, barba crescida, casaco de lã poído, arrasta uma neta por uma mão, enquanto a outra segura as suas compras – um saquinho de gilletes descartáveis e um saco com meia dúzia de pequenos pães. É pouca coisa, posso passar à frente? Com certeza, passe lá.

A caixa do hiper faz a conta. Sete euros e sessenta. O velho africano, gestos lentos, tira do bolso um lenço de pano sujo com moedas atadas numa das pontas. Despeja as moedas junto à caixa. Uma dúzia de moedas. A mais valiosa era de um euro. A senhora da caixa diz-lhe que não chega para a despesa. Ele diz que prescinde do pão. Só leva as gilletes. A senhora explica que as gilletes eram o mais caro e que não dava. O velho africano troca de opção. Então levo só o pão. Quanto é? Sessenta cêntimos. Olhar desconfiado de quem acha caro. Confirma o preço no embrulho do pão. Batia certo. As moedas são contadas, uma a uma. O velho, olhar desconsolado, amarra as sobras das moedas de volta ao canto do seu lenço.

O velho africano sai com a neta segura numa mão, enquanto a outra agarra o saco, um saco com seis pãezinhos.
publicado por João Tunes às 23:02
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Demter a 31 de Maio de 2004 às 16:27
Ainda bem que posso gostar de algumas das suas partes...


De Joo a 28 de Maio de 2004 às 16:47
Não insista, estimada Deméter. Já sei que não gosta de política. Tudo bem. Problema seu. Mas Eu tenho Partes e não sou Uma Parte. E, com as várias Partes, eu sou Um Todo. Destas partes, vc escolhe. Ou não escolhe. Exactamente o mesmo que eu faço com os seus Segredos. Saudação amiga.


De Joo a 28 de Maio de 2004 às 16:40
De acordo, Carlos e Pedro.


De Demter a 28 de Maio de 2004 às 13:14
Esse texto me inspirou, em outra oportunidade, a fazer um balanço da situação do idoso no Brasil. por aqui aposentar-se é humilhante, imagine só o que significa envelhecer "carente" em uma sociedade que não respeita os velhos. Esse é a meu ver, João, a linha de textos que vc escreve que mais gosto.


De edro Santos a 28 de Maio de 2004 às 13:02
A malta de "gravata" não rouba só gilettes. Tira tb a possiblidade de velhos como esse de sobreviverem.


De Carlos a 28 de Maio de 2004 às 12:13
... há malta 'de gravata' a gamar as gilettes. A dignidade não se pendura ao pescoço.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. ESPANHA – GUERRA CIVIL

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (1...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (2...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (3...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (4...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (5...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (6...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (7...

. ESPANHA – GUERRA CIVIL (8...

.arquivos

. Setembro 2007

. Novembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds